A.          Glossário

O glossário do CMMI define muitos dos termos básicos utilizados nos modelos CMMI. As entradas do glossário são normalmente termos com várias palavras, consistindo de um nome e um ou mais modificadores restritivos (por exemplo, em lugar de definir “adaptação”, são definidos “adaptação do modelo CMMI”, “adaptação de avaliação CMMI” e “instruções de adaptação”). (Existem algumas exceções a esta regra que tratam de termos de palavra única no glossário).  [FM113.T101]

O glossário foi desenvolvido utilizando critérios definidos para a seleção dos termos e definições. Alguns termos não foram incluídos no glossário porque foram utilizados somente em uma única área de processo ou porque o termo foi utilizado no seu sentido comum. Em qualquer caso, o uso do termo é explicado na área de processo.  [FM113.T102]

Para serem considerados para inclusão no glossário dos modelos CMMI, os termos devem atender as seguintes condições:  [FM113.T103]

Condição 1 – A entrada deve aparecer nos modelos CMMI. O glossário não inclui palavras que sejam auto-explicativas no contexto do produto CMMI ou que, através do uso popular, já são amplamente compreendidas pelos usuários do modelo. Os termos utilizados somente como exemplos e que não sejam conceitos críticos para o uso dos modelos CMMI, também foram excluídos. Entretanto, se havia alguma dúvida sobre o entendimento do termo, este foi incluído no glossário.  [FM113.T104]

Condição 2 – A definição do termo não é satisfeita com uma definição comum do dicionário. A melhor fonte de referência para as definições do termo é um dicionário comum. Entretanto, uma vez que um termo foi identificado no CMMI Product Suite, ele (ou as palavras que o compõe) foram pesquisadas (em inglês) no Miriam-Webster’s Online Collegiate Dictionary (http://www.m-w.com). Se a definição encontrada caracterizava de forma suficientemente precisa a maneira como o termo foi utilizado nos produtos CMMI, o termo foi deixado de fora do glossário, porque não havia uma necessidade premente de replicar definições comuns encontradas no dicionário.  [FM113.T105]

Condição 3 – Em alguns casos, os termos utilizados nos modelos CMMI são únicos no contexto do CMMI. Nestes casos, definições originais não encontradas em outros contextos foram criadas. Quando foram selecionadas ou criadas as definições do CMMI, foi tomado um grande cuidado para assegurar que as definições não tinham alguma das seguintes características:  [FM113.T106]

·           Definições circulares

·           Definições auto-definidas, quando um termo é utilizado para definir a si próprio

·           Termos que estão diferenciados, quando na realidade são sinônimos, de acordo com um dicionário padrão

·           Definições altamente restritivas que obstruiriam o uso dos termos, normalmente entendidos pelo público em situações mais comuns

·           Definições que fornecer informações explicativas que pertenceriam melhor a outro lugar do modelo

Quando foram selecionadas as definições para os termos do glossário CMMI, foram utilizadas, quando possível, definições de fontes reconhecidas. As definições foram primeiro selecionadas a partir de fontes existentes que eram amplamente conhecidas nas disciplinas de desenvolvimento de software, desenvolvimento de sistemas e IPPD. Se uma definição foi selecionada a partir de uma destas fontes, uma anotação no final da definição entre colchetes (por exemplo, [ISO 9000]), foi incluída. A ordem de precedência utilizada na seleção de definições foi:  [FM113.T109]

1. Dicionário Webster’s
2. ISO/IEC 9000
3. ISO/IEC 12207
4. ISO/IEC 15504
5. ISO/IEC 15288
6. Modelos fonte do CMMI  [FM113.T115]

·            IPD-CMM v0.98

·            EIA/IS 731 (SECM)

·            SW-CMM v 2, draft C

7. CMMI A-Spec
8. IEEE
9. SW-CMM v1.1
10.
EIA 632
11. SA-CMM
12. FAA-CMM
13. P-CMM  [FM113.T116]

O Glossário foi desenvolvido reconhecendo a importância do uso de terminologia que todos os usuários do modelo possam entender. Ele também reconhece que palavras e termos podem ter diferentes significados em diferentes contextos e ambientes. O glossário dos modelos CMMI foi projetado para documentar os significados de palavras e termos que deverão ter o mais amplo uso e entendimento pelos usuários dos produtos CMMI.  [FM113.T117]

 

 

Ação corretiva (corrective action)

Atos ou ações utilizados para remediar uma situação, remover um erro ou ajustar uma condição.

Adaptação de avaliação CMMI (CMMI appraisal tailoring)

Seleção de opções dentro do método de avaliação para uso em uma instância específica.

A intenção da adaptação da avaliação é ajudar uma organização a alinhar a aplicação do método com os seus objetivos de negócios.

Adaptação do modelo CMMI (CMMI model tailoring)

A utilização de um subconjunto de um modelo CMMI com o objetivo de torná-lo adequado para uma aplicação específica. A intenção da adaptação do modelo é ajudar uma organização a alinhar a aplicação de um modelo com seus objetivos de negócios.

Adaptação de processo (process tailoring)

Fazer, alterar ou adaptar uma descrição de processo para um fim específico. Por exemplo, um projeto adapta seu processo definido a partir do conjunto de processos padrão da organização para atender seus objetivos, restrições e ambiente do projeto. (Veja “descrição de processo”, “conjunto de processos padrão da organização” e “processo definido”).

Adequado (adequate)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como os termos “adequado”, “apropriado” e “conforme necessário” são utilizados no CMMI Product Suite.

Análise (assessment)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como a palavra “análise” é utilizada no CMMI Product Suite.

Análise de causas (causal analysis)

A análise de defeitos para determinar a causa.

Análise de requisitos (requirements analysis)

A determinação de desempenho de um produto específico e das características funcionais baseada em análises de necessidades de clientes, expectativas e restrições; conceito operacional; ambientes de utilização projetados para as pessoas, produtos e processos; e medidas de eficácia.

Análise de riscos (risk analysis)

A avaliação, classificação e priorização de riscos.

Análise funcional (functional analysis)

Exame de uma função definida para identificar todas as subfunções necessárias para o cumprimento daquela função; identificação de relacionamentos funcionais e interfaces (internas e externas) e captura destes em uma arquitetura funcional e o caminho todo dos requisitos de desempenho de alto nível e a atribuição destes requisitos a subfunções de mais baixo nível. (Veja “arquitetura funcional”).

Apropriado (appropriate)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como os termos “adequado”, “apropriado” e “conforme necessário” são utilizados no CMMI Product Suite.

Aquisição (acquisition)

O processo de obtenção, através de contrato, de qualquer ação distinta ou ação proposta que a entidade de aquisição se comprometeria a investir (fundos adequados) para obter produtos ou serviços.

Área de processo (process area)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “área de processo” é utilizado no CMMI Product Suite.

Arquitetura funcional (functional architecture)

O arranjo hierárquico de funções, suas interfaces funcionais internas e externas (externas à própria agregação) e interfaces físicas externas, seus requisitos funcionais e de desempenho respectivos e suas restrições de design.

Arquiteturas de processos (process architectures)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “arquiteturas de processos” é utilizado no CMMI Product Suite.

Ativo de processo (process asset)

Qualquer coisa que a organização considera útil para atender as metas de uma área de processo. (Veja “ativos de processos organizacionais”).

Ativos de processos organizacionais (organizational process assets)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “ativos de processos organizacionais” é utilizado no CMMI Product Suite.

Atributo de processo (process attribute)

Uma característica mensurável da capacitação do processo aplicável a qualquer processo.

Atributos de produtos de trabalho e tarefas (work product and task attributes)

Características de produtos, serviços e tarefas de projetos utilizadas para ajudar a estimar o trabalho do projeto. Estas características incluem itens como tamanho, complexidade, peso, formato, encaixe ou função. Estas são normalmente utilizadas como entrada para derivar outras estimativas de projeto e de recursos (por exemplo, esforço, custo, cronograma).

Auditoria (audit)

No trabalho de melhoria de processos do CMMI, um exame independente de um produto de trabalho ou de um conjunto de produtos de trabalho para determinar se os requisitos estão sendo satisfeitos.

Auditoria de configurações (configuration audit)

Uma auditoria conduzida para verificar se um item de configuração atende a um padrão ou requisito específico. (Veja “auditoria” e “item de configuração”).

Avaliação (appraisal)

Veja o Capítulo 3 para uma explicação de como a palavra “avaliação” é utilizada no CMMI Product Suite.

Avaliação da capacitação (capability evaluation)

Uma avaliação feita por uma equipe de profissionais treinados utilizada como distinção para selecionar fornecedores, monitorar contratos e para incentivos. As avaliações são usadas para ajudar os tomadores de decisões a tomar melhores decisões de aquisição, melhorar o desempenho dos subcontratados e fornecer visibilidade para a organização que está fazendo a aquisição.

Avaliador líder (lead appraiser)

Conforme utilizado no CMMI Product Suite, uma pessoa que conseguiu o reconhecimento de um corpo de autorização para desempenhar o papel de líder de uma equipe de avaliação, para um método de avaliação específico.

Avaliar objetivamente (objectively evaluate)

Revisar atividades e produtos de trabalho contra critérios que minimizem a subjetividade e influências do revisor. Um exemplo de uma avaliação objetiva é uma auditoria contra os requisitos, padrões ou procedimentos para uma função de garantia da qualidade independente (Veja “auditoria”).

 

 

Baseline

(Veja “baseline de configurações”, “baseline do desempenho do processo” e “baseline do produto”).

Baseline de configurações (configuration baseline)

As informações de configurações formalmente projetadas em um momento específico durante a vida de um produto ou componente de produto. Baselines de configurações, mais as mudanças aprovadas a estas baselines, constituem as informações atuais de configurações. (Veja “ciclo de vida do produto”).

Baseline de desempenho do processo (process performance baseline)

Uma caracterização documentada dos resultados reais atingidos seguindo-se um processo, que é utilizada como benchmark para comparação do desempenho real do processo contra o seu desempenho esperado. (Veja “desempenho do processo”).

Baseline do produto (product baseline)

No gerenciamento de configurações, o pacote de dados técnicos inicialmente aprovado (incluindo, para software, a listagem do código fonte) definindo um item de configuração durante a produção, operação, manutenção e suporte logístico do seu ciclo de vida. (Veja “gerenciamento de configurações” e “item de configuração”).

Biblioteca de ativos de processos (process asset library)

Uma coleção de ativos de processos mantidos que podem ser utilizados por uma organização ou projeto. (Veja “biblioteca de ativos de processos da organização”).

Biblioteca de ativos de processos da organização (organization’s process asset library)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “biblioteca de ativos de processos da organização” é utilizado no CMMI Product Suite.

 

 

Capacitação do processo (process capability)

A faixa de resultados esperados que pode ser atingida seguindo um processo. [EIA/IS 731, V1.0]

Causa atribuída da variação do processo (assignable cause of process variation)

No CMMI, o termo “causa especial de variação do processo” é utilizado em lugar de “causa atribuída da variação do processo” para assegurar consistência. Ambos os termos são definidos de forma idêntica. (Veja “causa especial de variação do processo”).

Causa comum de variação de processos (common cause of process variation)

A variação de um processo que existe por causa de interações normais e esperadas entre os componentes de um processo. (Veja “causas especiais de variação de processos”).

Causa especial de variação do processo (special cause of process variation)

Uma causa de um defeito que é específico de alguma circunstância passageira e não uma parte inerente do processo. (Veja “causa comum de variação de processo”).

Causa raiz (root cause)

Uma causa raiz é uma fonte de um defeito que, se for removida, o defeito será diminuído ou removido.

Cenário operacional (operational scenario)

Uma descrição de uma seqüência imaginária de eventos que incluem a interação do produto com seu ambiente e usuários, bem como a interação entre seus componentes do produto. Cenários operacionais são utilizados para avaliar os requisitos e o design do sistema e verificar e validar o sistema.

Ciclo de vida do produto (product life cycle)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “ciclo de vida do produto” é utilizado no CMMI Product Suite.

Classificação (rating)

(Veja “classificação da avaliação”).

Classificação da avaliação (appraisal rating)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, o valor atribuído por uma equipe de avaliação para (1) uma meta ou área de processo do CMMI, (2) o nível de capacitação de uma área de processo e (3) o nível de maturidade de uma unidade organizacional. A classificação é determinada pela atuação do processo de classificação definido para o método de avaliação que está sendo empregado.

Cliente (customer)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “cliente” é utilizado no CMMI Product Suite.

CMMI Framework

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “CMMI Framework” é utilizado no CMMI Product Suite.

CMMI Product Suite

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “CMMI Product Suite” é utilizado no CMMI Product Suite. (Veja “CMMI Framework”).

Comitê de controle de configurações (configuration control board)

Um grupo de pessoas responsáveis por avaliar e aprovar ou desaprovar mudanças propostas aos itens de configuração e por assegurar a implementação das mudanças aprovadas. (Veja “item de configuração”). Os comitês de controle de configurações são também conhecidos como “comitês de controle de mudanças”.

Componente de produto (product component)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “componente de produto” é utilizado no CMMI Product Suite.

Componente do modelo CMMI (CMMI model component)

Qualquer um dos principais elementos de arquitetura que compõem o modelo CMMI. Alguns dos principais elementos do modelo CMMI incluem práticas específicas, práticas genéricas, metas específicas, metas genéricas, áreas de processos, níveis de capacitação e níveis de maturidade.

Componentes CMMI esperados (expected CMMI components)

Os componentes CMMi que explicam o que deve ser feito para satisfazer um componente CMMI exigido. Os usuários do modelo podem implementar os componentes esperados de forma explícita ou implementar práticas alternativas equivalentes a estes componentes. Práticas específicas e genéricas são componentes esperados do modelo.

Componentes exigidos do CMMI (required CMMI components)

Componentes do CMMI que são essenciais para atingir a melhoria de processos em uma dada área de processo. Estes componentes são utilizados em avaliações para determinar a capacitação do processo. Metas específicas e metas genéricas são componentes exigidos do modelo.

Componentes informativos do CMMI (informative CMMI components)

Componentes do CMMI que ajudam os usuários do modelo a entender os componentes exigidos e esperados de um modelo. Estes componentes podem conter exemplos, explicações detalhadas e outras informações de auxílio. Sub-práticas, notas, referências, títulos de metas, títulos de práticas, fontes, produtos de trabalho típicos, definições ampliadas de disciplinas e elaborações de práticas genéricas são componentes informativos de modelos.

Compromissos (commitment to perform)

Uma característica comum das áreas de processos do modelo CMMI com uma representação em estágios, que agrupa as práticas genéricas relacionadas com a criação de políticas e a garantia de patrocínio.

Comunicação do status de configurações (configuration status accounting)

Um elemento do gerenciamento de configurações que consiste do registro e relato de informações necessárias para gerenciar efetivamente uma configuração. Estas informações incluem uma lista das identificações de configurações aprovadas, o status das mudanças propostas às configurações e o status da implementação das mudanças aprovadas. (Veja “gerenciamento de configurações” e “identificação de configurações”).

Conceito de operações (concept of operations)

(Veja “conceito operacional”).

Conceito operacional (operational concept)

Uma descrição geral da maneira pela qual uma entidade é utilizada ou opera. (Também conhecido como “conceito de operações”).

Conjunto de processos padrão da organização (organization's set of standard processes)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “conjunto de processos padrão da organização” é utilizado no CMMI Product Suite. (Veja “processo definido” e “elemento de processo”).

Conjunto de produtos (product suite)

(Veja “CMMI Product Suite”).

Conforme necessário (as needed)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como os termos “adequado”, “apropriado” e “conforme necessário” são utilizados no CMMI Product Suite.

Contexto do processo (process context)

O conjunto de fatores, documentados nas entradas da avaliação, que influenciam o julgamento e comparação das classificações da avaliação.

Estes incluem, embora não estejam limitados a, o tamanho da unidade organizacional a ser avaliada; a demografia da unidade organizacional; a disciplina de aplicação dos produtos ou serviços; o tamanho, criticidade e complexidade dos produtos ou serviços e as características de qualidade dos produtos ou serviços.

Contratado (contractor)

(Veja “fornecedor”).

Controle da qualidade (quality control)

As técnicas e atividades operacionais que são utilizadas para atender os requisitos para a qualidade. [ISO 8402-1994] (Veja “garantia da qualidade”).

Controle de configurações (Configuration control)

Um elemento de gerenciamento de configurações consistindo da avaliação, coordenação, aprovação ou desaprovação e implementação das mudanças nos itens de configuração, após o estabelecimento formal de sua identificação de configuração. (Veja “gerenciamento de configurações”, “identificação de configurações” e “itens de configurações”).

Controle de interfaces (interface control)

No gerenciamento de configurações, o processo de (1) identificar todas as características funcionais e físicas relevantes para as interfaces entre dois ou mais itens de configuração fornecidos por uma ou mais organizações e (2) assegurar que as mudanças propostas a estas características são avaliadas e aprovadas antes de sua implementação. [IEEE 828-1983] (Veja “gerenciamento de configurações” e  “item de configuração”).

Controle de versões (version control)

O estabelecimento e manutenção de baselines e a identificação de mudanças nas baselines, que tornam possível retornar à baseline anterior.

Controle estatístico do processo (statistical process control)

Análise baseada em estatísticas de um processo e medições do desempenho de um processo, que identificará causas comuns e especiais de variação do desempenho do processo e manterá o desempenho do processo dentro de limites. (Veja “causa comum de variação do processo”, “processo estatisticamente gerenciado” e “causa especial de variação do processo”).

Critérios de aceitação (acceptance criteria)

Os critérios que um produto ou componente de produto deve satisfazer para ser aceito por um usuário, cliente ou outra entidade autorizada.

Critérios de entrada (entry criteria)

Estados que devem estar presentes antes que um esforço possa começar com sucesso. Também chamados de pré-condições.

Critérios de saída (exit criteria)

Estados que devem estar presentes antes que um esforço possa ser encerrado com sucesso. Também chamados de pós-condições.

 

 

Declaração de trabalho (statement of work)

Uma descrição do trabalho contratado necessário para completar um projeto.

Definição do processo (process definition)

O ato de definir e descrever um processo. O resultado da definição do processo é uma descrição do processo. (Veja “descrição do processo”).

Definições ampliadas de disciplinas (discipline amplification)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “definições ampliadas de disciplinas” são utilizadas no CMMI Product Suite.

Densidade de defeitos (defect density)

Quantidade de defeitos por unidade de tamanho do produto (por exemplo, problemas relatados por 1000 linhas de código).

Descobertas (finding)

(Veja  “descobertas da avaliação”).

Descobertas da avaliação (appraisal findings)

As conclusões de uma avaliação que identificam as questões mais importantes, problemas ou oportunidades dentro do escopo da avaliação. As descobertas incluem, no mínimo, os pontos fortes e fracos baseados em observações válidas.

Descrição do processo (process description)

Uma expressão documentada de um conjunto de atividades executadas para atingir um dado objetivo, que oferece uma definição dos principais componentes de um processo. A documentação especifica, de uma forma completa, precisa e verificável, os requisitos, design, comportamento e outras características de um processo. Ela também pode incluir procedimentos para determinar se estas provisões foram satisfeitas. Descrições de processos podem ser encontradas no nível de atividade, projeto ou organização.

Desempenho do processo (process performance)

Uma medida dos resultados reais a serem atingidos seguindo-se um processo. Ela é caracterizada por medidas de processos (por exemplo, esforços, tempo do ciclo e eficiência de remoção de defeitos) e medidas de produtos (por exemplo, confiabilidade, densidade de defeitos e tempo de resposta).

Desenvolvimento (development)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “desenvolvimento” é utilizado no CMMI Product Suite.

Desenvolvimento Integrado do Produto e do Processo (Integrated Product and Process Development)

Uma abordagem sistemática para o desenvolvimento do produto que consegue uma colaboração pontual dos stakeholders relevantes, durante todo o ciclo de vida do produto, para melhor satisfazer as necessidades do cliente.

 

 

Elaboração da prática genérica (generic practice elaboration)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “elaboração da prática genérica” é utilizada no CMMI Product Suite.

Elemento de processo (process element)

A unidade fundamental de um processo. Um processo pode ser definido em termos de subprocessos ou elementos de processo. Um subprocesso pode ser mais decomposto; um elemento de processo não pode.

Cada elemento de processo cobre um conjunto fortemente relacionado de atividades (por exemplo, elementos de estimativa, elementos de revisão por pares). Elementos de processos podem ser retratados utilizando templates a serem completados, abstrações a serem refinadas ou descrições a serem modificadas ou utilizadas. Um elemento de processo pode ser uma atividade ou tarefa.

Elicitação de requisitos (requirements elicitation)

Utilizar técnicas sistemáticas, como protótipos e pesquisas estruturadas, para identificar e documentar de forma pró-ativa as necessidades do cliente e do usuário final.

Empreendimento (enterprise)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “empreendimento” é utilizado no CMMI Product Suite.

Engenharia de sistemas (systems engineering)

A abordagem interdisciplinar que governa o esforço total técnico e gerencial exigido para transformar um conjunto de necessidades do cliente, expectativas e restrições em uma solução de produto e suporte àquela solução durante toda a vida do produto.

Isto inclui a definição de medidas de desempenho técnico, a integração de especialidades da engenharia em direção ao estabelecimento de uma arquitetura de produto e a definição de processos de suporte do ciclo de vida que equilibram os objetivos de custo, desempenho e cronograma.

Engenharia de software (software engineering)

(1) A aplicação de uma abordagem sistemática, disciplinada e quantificável para o desenvolvimento, operação e manutenção de software. (2) O estudo de abordagens como as de (1).

Equipe de ação de processo (process action team)

Uma equipe que tem a responsabilidade de desenvolver e implementar atividades de melhoria de processos para uma organização, conforme documentado no plano de ação de melhoria de processos.

Equipe integrada (integrated team)

Um grupo de pessoas com habilidades e conhecimentos complementares que estão comprometidas com a entrega de produtos de trabalho específicos em uma colaboração pontual. Membros da equipe integrada fornecem habilidades e o suporte apropriado a todas as fases da vida dos produtos de trabalho e são coletivamente responsáveis por entregar os produtos de trabalho conforme especificados. Uma equipe integrada deverá incluir representantes fortes das organizações, disciplinas e funções que têm influência no sucesso dos produtos de trabalho.

Escopo da avaliação (appraisal scope)

A definição das fronteiras da avaliação, levando em conta os limites organizacionais e os limites do modelo CMMI.

Estabelecer e manter (establish and maintain)

Veja no Capítulo 3 uma explicação sobre como “estabelecer e manter” são utilizadas no CMMI Product Suite.

Estágios alvo (target staging)

Na representação contínua, uma seqüência de perfis alvo que descrevem o caminho da melhoria do processo a ser seguido pela organização. (Veja “perfil de nível de capacitação”, “perfil de satisfação” e “perfil alvo”).

Estágios equivalentes (equivalent staging)

Estágios equivalentes são estágios alvo, criados utilizando a representação contínua, definidos de forma que os resultados da utilização do estágio equivalente possam ser comparados com os níveis de maturidade da representação em estágios. (Veja “estágios alvo”, “nível de maturidade”, “perfil de nível de capacitação” e “perfil alvo”).

Tais estágios permitem fazer um benchmark do progresso entre organizações, empreendimentos e projetos, independente da representação CMMI utilizada. A organização pode implementar componentes de modelos CMMI, além daqueles relatados como parte do estágio equivalente. Os estágios equivalentes são somente uma medida para relatar como a organização é comparada a outras organizações em termos de níveis de maturidade.

Estratégia de aquisição (acquisition strategy)

A abordagem específica para adquirir produtos e serviços que se baseia em considerações sobre as fontes de fornecimento, métodos de aquisição, tipos de especificação de requisitos, tipos de contratos ou acordos e os riscos relacionados à aquisição.

Estratégia de gerenciamento de riscos (gerenciamento de riscos  strategy)

Uma abordagem técnica e organizada para identificar o que poderia causar perda ou dano (identificar riscos), avaliar e quantificar os riscos identificados e desenvolver e, se necessário, implementar uma abordagem apropriada para prevenir ou tratar causas de riscos que poderiam resultar em um dano ou perda significativos. Normalmente, o gerenciamento de riscos é desempenhado para o projeto, organização ou unidades organizacionais de desenvolvimento do produto.

Estrutura de decomposição do trabalho (work breakdown structure)

Um arranjo de elementos de trabalho e seus relacionamentos uns com os outros e com o produto final.

Estudo comercial (trade study)

Uma avaliação de alternativas baseada em critérios e análise sistemática, para selecionar a melhor alternativa para conseguir determinados objetivos.

Evidência (evidence)

(Veja “evidência objetiva”).

Evidência objetiva (objective evidence)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, as informações qualitativas ou quantitativas, registros ou declarações de fatos pertinentes às características de um item ou serviço ou à existência e implementação de um elemento de processo, que são baseadas na observação, medição ou testes e que são verificáveis.

Executivo (executive)

(Veja “gerente sênior”).

 

 

Fornecedor (supplier)

(1) Uma entidade que entrega produtos ou executa serviços que estão sendo adquiridos. (2) Um indivíduo, parceiro, companhia, corporação, associação ou outro serviço sob um acordo (contrato) com o aquisidor do design, desenvolvimento, manufatura, manutenção, modificação ou fornecimento de itens sob os termos de um acordo (contrato).

Framework

(Veja “CMMI Framework”).

 

 

Garantia da qualidade (quality assurance)

Meios planejados e sistemáticos para assegurar ao gerenciamento que os padrões definidos, práticas, procedimentos e métodos do processo estão sendo aplicados.

Gerenciamento de configurações (configuration management)

Uma disciplina que aplica um direcionamento técnico e administrativo e vigilância a (1) identificar e documentar as características funcionais e físicas de um item de configuração, (2) controlar mudanças a estas características, (3) registrar e relatar o processamento de mudanças e o status da implementação e (4) verificar a conformidade com os requisitos especificados. [IEEE Std 610.1990] (Veja “identificação de configuração”, “controle de configurações”, “comunicação do status de configurações” e “auditoria de configurações”).

Gerenciamento de dados (data management)

Princípios, processos e sistemas para o compartilhamento e gerenciamento de dados.

Gerenciamento de mudanças (change management)

O uso cuidadoso de meios para efetivar uma mudança, ou uma proposta de mudança, em um produto ou serviço (Veja “gerenciamento de configurações”).

Gerenciamento de requisitos (requirements management)

O gerenciamento de todos os requisitos recebidos e gerados pelo projeto, incluindo os requisitos técnicos e não-técnicos, bem como aqueles requisitos impostos no projeto pela organização.

Gerenciamento de riscos (gerenciamento de riscos )

Um processo organizado e analítico para identificar o que poderia causar dano ou perda (identificar riscos), avaliar e quantificar os riscos identificados e desenvolver e, se necessário, implementar uma abordagem apropriada para prevenir ou tratar causas de riscos que poderiam resultar em um dano ou perda significativos.

Gerente (manager)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “gerente” é utilizado no CMMI Product Suite.

Gerente do projeto (project manager)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “gerente do projeto” é utilizado no CMMI Product Suite.

Gerente sênior (senior manager)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “gerente sênior” é utilizado no CMMI Product Suite.

Grupo de processo (process group)

Uma coleção de especialistas que facilita a definição, manutenção e melhoria dos processos utilizados na organização.

Grupo independente (independent group)

Na área de processo de Garantia da Qualidade do Processo e do Produto, veja a discussão sobre um “grupo que é independente” nas Notas Introdutórias.

 

 

Habilitação (ability to perform)

Uma característica comum das áreas de processos do modelo CMMI com representação em estágios, que agrupa as práticas genéricas relacionadas a assegurar que o projeto e/ou organização tem os recursos que necessita.

 

 

Identificação de configuração (configuration identification)

Um elemento de gerenciamento de configuração consistindo da seleção de itens de configuração para um produto, atribuição de identificadores únicos para eles e registro de suas características funcionais e físicas na documentação técnica. (Veja  “gerenciamento de configurações”, “item de configuração” e “produto”).

Identificação de riscos (risk identification)

Uma abordagem organizada e abrangente para pesquisar riscos prováveis ou reais ao atendimento dos objetivos.

Implementação (directing implementation)

Uma característica comum de áreas de processos do modelo CMMI com uma representação em estágios, que agrupa as práticas genéricas relacionadas ao gerenciamento do desempenho do processo, gerenciamento da integridade de seus produtos de trabalho e envolvimento dos stakeholders relevantes.

Institucionalização (institutionalization)

A maneira enraizada de fazer negócios que uma organização segue rotineiramente, como parte de sua cultura corporativa.

Instruções de adaptação (tailoring guidelines)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “instruções de adaptação” é utilizado no CMMI Product Suite.

Item de configuração (configuration item)

Uma agregação de produtos de trabalho que é atribuída para o gerenciamento de configurações e tratada como uma entidade única no processo de gerenciamento de configurações. (Veja “gerenciamento de configurações”).

Item não desenvolvido (non-developmental item)

Um item de fornecimento que foi desenvolvido previamente ao seu uso atual em um processo de aquisição ou desenvolvimento. Tal item pode exigir pequenas modificações para atender os requisitos do seu uso atual pretendido.

 

 

Líder da equipe de avaliação (appraisal team leader)

Uma pessoa que lidera as atividades de uma avaliação e que satisfaz os critérios de qualificação com relação à experiência, conhecimento e habilidades definidos pelo método de avaliação.

Ligações naturais (natural bounds)

O processo inerente refletido por medidas de desempenho do processo, algumas vezes referenciado como “voz do processo”. Técnicas como gráficos de controle, intervalos de confiança e intervalos de previsão são utilizadas para determinar se a variação é devido a causas comuns (isto é, o processo é previsível ou “estável”) ou se é devido a alguma causa especial que pode e deverá ser identificada e removida.

Linha de produtos (product line)

Um grupo de produtos que compartilha um conjunto de características comuns e gerenciadas que satisfazem as necessidades específicas de um mercado ou missão selecionada.

 

 

Maturidade organizacional (organizational maturity)

A extensão na qual uma organização tem explícita e consistentemente implantados processos que são documentados, gerenciados, medidos, controlados e continuamente melhorados. A maturidade organizacional pode ser medida através de avaliações.

Medição de processos (process measurement)

O conjunto de definições, métodos e atividades utilizados para fazer medições de um processo e seus produtos resultantes, com o objetivo de caracterizar e entender o processo.

Medida básica (base measure)

Um propriedade ou característica específica de uma entidade e o método utilizado para quantificá-la. (Veja “medidas derivadas”).

Medidas derivadas (derived measures)

Dados resultantes da função matemática de duas ou mais medidas básicas. (Veja “medidas básicas”).

Melhoria de processo (process improvement)

Um programa de atividades projetado para melhorar o desempenho e maturidade dos processos da organização e os resultados de tal programa.

Melhorias de processo e de tecnologia (process and technology improvements)

Na área de processo de Inovação e Desenvolvimento Organizacional, veja a discussão de  “melhorias de processo e de tecnologia” nas Notas Introdutórias.

Meta (goal)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “meta” é utilizada no CMMI Product Suite.

Meta específica (specific goal)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “meta específica” é utilizada no CMMI Product Suite. (Veja “área de processo”, “nível de capacitação”, “meta genérica”, “objetivo quantitativo” e “objetivos de negócios da organização”).

Meta genérica (generic goal)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “meta genérica” é utilizada no CMMI Product Suite.

Minuta de acordo (memorandum of agreement)

Documentos legais de entendimento ou acordo entre duas ou mais partes. (Também conhecido como “memorando de entendimento”).

Modelo CMMI (CMMI model)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “modelo CMMI” é utilizado no CMMI Product Suite.

Modelo de ciclo de vida (life-cycle model)

O particionamento da vida de um produto em fases que guiam o projeto a partir da identificação das necessidades do cliente até o descarte do produto.

Modelo de desempenho do processo (process performance model)

Uma descrição dos relacionamentos entre os atributos de um processo e seus produtos de trabalho que é desenvolvida a partir de dados históricos de desempenho de processos e calibrada utilizando medidas de processo e de produto, coletadas no projeto e que são utilizadas para prever os resultados a ser atingidos seguindo-se um processo.

Modelo de maturidade da capacitação (capability maturity model)

Um modelo de maturidade da capacitação (CMM) contém os elementos essenciais dos processos efetivos para uma ou mais disciplinas. Ele também descreve um caminho de melhoria evolutiva, de processos imaturos e empíricos para processos disciplinados e maduros, com a qualidade e eficiência melhoradas.

Modelo de referência (reference model)

Um modelo que é utilizado como benchmark para medir algum atributo.

Modelo de referência da avaliação (appraisal reference model)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, o modelo CMMI para o qual uma equipe de avaliação correlaciona as atividades de processos implementadas.

 

 

Nível de capacitação (capability level)

A satisfação da melhoria do processo dentro de uma área de processo específica. Um nível de capacitação é definido pelas práticas genéricas e específicas apropriadas para a área de processo. (Veja “nível de maturidade”, “área de processo”, “prática genérica” e “meta genérica”).

Nível de maturidade (maturity level)

Grau de melhoria de processos em um conjunto pré-definido de áreas de processos, no qual todas as metas dentro do conjunto foram atendidas. (Veja “nível de capacitação” e “área de processo”).

 

 

Objetivo (objective)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “objetivo” é utilizado no CMMI Product Suite.

Objetivo quantitativo (quantitative objective)

Valor alvo desejado expressado em medidas quantitativas. (Veja “objetivos de qualidade e desempenho do processo” e “objetivos de melhoria de processos”).

Objetivos de melhoria de processos (process-improvement objectives)

Um conjunto de características alvo estabelecidas para direcionar o esforço para melhorar um processo existente de uma forma específica mensurável, seja em termos de características do produto resultante (por exemplo, qualidade, desempenho, conformidade a padrões, etc.) ou da maneira pela qual o processo é executado (por exemplo, eliminação de etapas redundantes do processo, combinação de etapas do processo, melhoria do tempo do ciclo, etc.). (Veja “objetivo quantitativo” e “objetivos de negócios da organização”).

Objetivos de negócios (business objectives)

(Veja “objetivos de negócios da organização”).

Objetivos de negócios da organização (organization’s business objectives)

Estratégias desenvolvidas pela gerência sênior para assegurar a existência contínua da organização e melhorar sua lucratividade, participação no mercado e outros fatores que influenciam o sucesso da organização. (Veja “objetivo quantitativo” e “objetivos de qualidade e desempenho do processo”).

Tais objetivos podem incluir reduzir o número de solicitações de mudanças durante a fase de integração de um sistema, reduzir o tempo do ciclo de desenvolvimento, aumentar o número de erros encontrados na primeira ou segunda fase de desenvolvimento de um produto, reduzir o número de defeitos relatados pelo cliente, etc., quando aplicados às atividades de engenharia de sistemas.

Objetivos de qualidade e desempenho do processo (quality and process-performance objectives)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “objetivos de qualidade e desempenho do processo” é utilizado no CMMI Product Suite.

Observação (observation)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, um registro escrito que representa o entendimento dos membros da equipe de avaliação das informações vistas ou ouvidas durante as atividades de coleta de dados da avaliação. O registro escrito pode tomar a forma de uma declaração ou formas alternativas, desde que o conteúdo da informação seja preservado.

Organização (organization)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “organização” é utilizada no CMMI Product Suite.

Outsourcing  

(Veja “aquisição”).

 

 

Pacote de dados técnicos (technical data package)

Uma coleção de itens que podem incluir o seguinte, se tais informações forem apropriadas ao tipo de produto e componente de produto (por exemplo, requisitos de materiais e manufatura podem não ser úteis para componentes de produtos associados a serviços ou processos de software):

·         Descrição da arquitetura do produto

·         Requisitos alocados

·         Descrições de componentes de produtos

·         Descrições de processos relacionados ao ciclo de vida do produto, se não forem descritos como componentes de produtos separados

·         Características chave dos produtos

·         Características físicas exigidas e restrições

·         Requisitos de interfaces

·         Requisitos de materiais (pedidos ou materiais e características de materiais)

·         Requisitos de fabricação e manufatura (para o fabricante do equipamento original e para o suporte de campo)

·         Os critérios de verificação utilizados para assegurar que os requisitos sejam atendidos

·         Condições de utilização (ambientes) e cenários operacionais/de utilização, modos e estados de operação, suporte, treinamento, manufatura, descarte e verificações em toda a vida do produto

·         Justificativa para decisões e características (requisitos, alocações de requisitos, decisões de design)

Pacote de solicitação (solicitation package)

Um documento formal que delineia requisitos técnicos e não-técnicos, que é utilizado para requisitar ofertas em convites para concorrências (concorrências) e requisições de propostas (propostas) ou para requisitar avaliações de capacitação e cotações de preços (cotações). Ele é também utilizado como base para selecionar uma fonte ou fontes de fornecimento para oferecer produtos e serviços.

Padrão (standard)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “padrão” é utilizado no CMMI Product Suite.

Parâmetros de desempenho (performance parameters)

As medidas de eficácia e outras medidas chave utilizadas para guiar e controlar o desenvolvimento progressivo.

Participantes da avaliação (appraisal participants)

Membros da unidade organizacional que participam fornecendo informações durante a avaliação.

Perfil (profile)

(Veja “perfil de satisfação” e “perfil alvo”).

Perfil alvo (target profile)

Na representação contínua, uma lista de áreas de processos e seus níveis de capacitação correspondentes que representam um objetivo para a melhoria do processo. (Veja “perfil de nível de capacitação” e “perfil de satisfação”).

Perfil de nível de capacitação (capability level profile)

Na representação contínua, uma lista das áreas de processos e seus níveis de capacitação correspondentes. (Veja “estágios alvo”, “perfil de nível de capacitação”, “perfil de satisfação” e “perfil alvo”). O perfil pode ser um perfil de satisfação quando representar o progresso da organização em cada área de processo, a medida em que esta avança pelos níveis de capacitação. Ou o perfil pode ser um perfil alvo quando ele representa um objetivo de melhoria do processo.

Perfil de satisfação (achievement profile)

Na representação contínua, uma lista de áreas de processos e seus níveis correspondentes de capacitação, que representam o progresso da organização para cada área de processo, enquanto avança pelos níveis de capacitação. (Veja “estágios alvo”, “perfil de nível de capacitação” e “perfil alvo”).

Plano de ação de processos (process action plan)

Na área de processo de Foco no Processo Organizacional, veja a definição de  “plano de ação de processo” nas Notas Introdutórias.

Plano de desenvolvimento (developmental plan)

Um plano para direcionamento, implementação e controle do design e desenvolvimento de um ou mais produtos. (Veja “plano do projeto” e “ciclo de vida do produto”).

Plano de melhoria de processos (process-improvement plan)

Na área de processo de Foco no Processo Organizacional, veja a definição de  “plano de melhoria de processos” nas  Notas Introdutórias.

Plano do projeto (project plan)

Na área de processo de Planejamento do Projeto, veja a definição de “plano do projeto” nas Notas Introdutórias.

Política (policy)

(Veja “política organizacional”).

Política organizacional (organizational policy)

Um princípio de direcionamento normalmente estabelecido pela gerência sênior, que é adotado por uma organização para influenciar e determinar decisões.

Ponto forte (strength)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, uma implementação exemplar ou digna de nota de uma prática de modelo CMMI.

Ponto fraco (weakness)

Conforme utilizado nos materiais de avaliação do CMMI, a implementação deficiente ou a falta de implementação de uma ou mais práticas do modelo CMMI.

Prática alternativa (alternative practice)

Uma prática que é substituta para uma ou mais práticas genéricas ou específicas contidas nos modelos CMMI, que geram um efeito equivalente em direção à satisfação da meta genérica ou específica associada com práticas do modelo. Práticas alternativas não são necessariamente substituições de um-para-um para as práticas genéricas ou específicas.

Prática específica (specific practice)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “prática específica” é utilizada no CMMI Product Suite. (Veja “área de processo” e “meta específica”).

Prática genérica (generic practice)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “prática genérica” é utilizada no CMMI Product Suite.

Práticas avançadas (advanced practices)

Na representação contínua, todas as práticas específicas com um nível de capacitação de dois ou superior.

Práticas básicas (base practices)

Na representação contínua, todas as práticas específicas com o nível de capacitação 1.

Previsibilidade estatística (statistical predictability)

O desempenho de um processo quantitativo que é controlado utilizando estatísticas e outras técnicas quantitativas.

Procedimento de teste (test procedure)

Instruções detalhadas para a configuração, execução e avaliação de resultados para um dado teste.

Processo (process)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “processo” é utilizado no CMMI Product Suite.

Processo capaz (capable process)

Um processo que pode satisfazer seus objetivos especificados de qualidade do produto, qualidade do serviço e desempenho do processo. (Veja “processo estável”, “processo padrão”, “processo gerenciado estatisticamente”).

Processo definido (defined process)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “processo definido” é utilizado no CMMI Product Suite.

Processo definido do projeto (project's defined process)

Na área de processo de Gerenciamento Integrado do Projeto, veja a definição de  “processo definido do projeto” nas  Notas Introdutórias e na prática específica Estabelecer o Processo Definido do Projeto.

Processo estatisticamente gerenciado (statistically managed process)

Um processo que é gerenciado por uma técnica baseada em estatísticas, na qual os processos são analisados, as causas especiais de variação do processo são identificadas e o desempenho é contido dentro de limites bem definidos. (Veja “processo estável”, “processo padrão”, “controle estatístico do processo”, “processo capacitado” e “causa especial de variação do processo”).

Processo estável (stable process)

O estado no qual todas as causas especiais de variação do processo foram removidas e impedidas de ocorrer novamente, de forma que somente as causas comuns de variação do processo se mantêm. (Veja “causa especial de variação do processo”, “causa comum de variação”, “processo padrão”, “processo estatisticamente gerenciado” e “processo capaz”).

Processo executado (performed process)

Um processo que satisfaz o trabalho necessário para produzir uma saída de produtos de trabalho identificados, utilizando produtos de trabalho de entrada identificados (também conhecido como capacitação nível 1). As metas específicas da área de processo são atendidas.

Processo formal de avaliação (formal evaluation process)

Na área de processo de Análises de Decisões e Resoluções, veja a definição de “processo formal de avaliação” nas Notas Introdutórias.

Processo gerenciado (managed process)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “processo gerenciado” é utilizado no CMMI Product Suite.

Processo incompleto

Um processo que não é executado ou que somente é executado parcialmente (também conhecido como capacitação nível 0). Uma ou mais metas específicas da área de processo não estão sendo satisfeitas.

Processo otimizado (optimizing process)

Um processo quantitativamente gerenciado que foi melhorado com base em um entendimento das causas comuns de variação inerentes ao processo. Um processo que se concentra em uma melhoria continua da sua faixa de desempenho de processo, através de melhorias tanto incrementais quanto inovadoras. (Veja “processo quantitativamente gerenciado”, “processo definido” e “causa comum de variação de processos”).

Processo padrão (standard process)

Uma definição operacional do processo básico que guia o estabelecimento de um processo comum em uma organização. [ISO/IEC 15504-9]

Um processo padrão que descreve os elementos fundamentais do processo que se espera que sejam incorporados em qualquer processo definido. Ele também descreve os relacionamentos (por exemplo, ordem e interfaces) entre estes elementos de processos. (Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “processo definido” é utilizado no CMMI Product Suite).

Processo planejado (planned process)

Um processo que é documentado tanto por uma descrição como por um plano. A descrição e o plano deverão ser coordenados e o plano deverá incluir padrões, requisitos, objetivos, recursos, atribuições, etc.

Processo quantitativamente gerenciado (quantitatively managed process)

Um processo definido que é controlado utilizando estatísticas e outras técnicas quantitativas. Os atributos de qualidade do produto, qualidade do serviço e desempenho do processo são mensuráveis e controlados em todo o projeto. (Veja “processo otimizado”, “processo definido” e “processo estatisticamente gerenciado”).

Processos relacionados com o ciclo de vida do produto (product-related life-cycle processes)

Processos associados com um produto durante uma ou mais fases de sua vida (isto é, da concepção até o descarte), como os processos de manufatura e suporte.

Produto (product)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “produto” é utilizado no CMMI Product Suite.

Produtos de prateleira (COTS)

Itens que podem ser comprados de um fornecedor comercial. (COTS quer dizer “commercial off the shelf” ou produto de prateleira).

Produto de trabalho (work product)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “produto de trabalho” é utilizado no CMMI Product Suite.

Produto de trabalho típico (typical work product)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “produto de trabalho típico” é utilizado no CMMI Product Suite.

Programa (program)

(1) Um projeto. (2) Uma coleção de projetos relacionados e a infra-estrutura que lhes dá suporte, incluindo objetivos, métodos, atividades, planos e medidas de sucesso. (Veja “projeto”).

Progresso e desempenho do projeto (project progress and performance)

O que um projeto satisfaz com relação a implementação de planos do projeto, incluindo esforço, custo, cronograma e desempenho técnico.

Projeto (project)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “projeto” é utilizado no CMMI Product Suite.

Proprietário do processo (process owner)

A pessoa (ou equipe) responsável por definir e manter um processo. No nível organizacional, o proprietário do processo é a pessoa (ou equipe) responsável pela descrição de um processo padrão; no nível do projeto, o proprietário do processo é a pessoa (ou equipe) responsável pela descrição do processo definido. Um processo pode, portanto, ter diversos proprietários em diferentes níveis de responsabilidade. (Veja “processo padrão” e “processo definido”).

Protótipo (prototype)

Um tipo, forma ou instância preliminar de um produto ou componente de produto que serve como modelo para as etapas posteriores ou para a versão final e completa do produto. Este modelo (físico, eletrônico, digital, analítico, etc.) pode ser utilizado para os seguintes (e outros) objetivos:

·         Avaliar a possibilidade de se construir o produto utilizando uma tecnologia nova ou desconhecida

·         Avaliar ou mitigar riscos técnicos

·         Validar requisitos

·         Demonstrar características críticas

·         Qualificar um produto

·         Qualificar um processo

·         Caracterizar o desempenho ou recursos do produto

·         Elucidar princípios físicos

 

 

Qualidade (quality)

A capacidade de um conjunto de características inerentes de um produto, componente de produto ou processo em atender completamente os requisitos dos clientes.

 

 

Rastreabilidade (traceability)

(Veja “rastreabilidade de requisitos”).

Rastreabilidade de requisitos (requirements traceability)

A evidência de uma associação entre um requisito e seu requisito fonte, sua implementação e sua verificação.

Referência (reference)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “referência” é utilizada no CMMI Product Suite.

Repositório de medições da organização (organization’s measurement repository)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “repositório de medições da organização” é utilizado no CMMI Product Suite.

Representação (representation)

No Capítulo 1, veja as definições de “representação em estágios” e “representação contínua”.

Representação contínua (continuous representation)

Uma estrutura de modelo de maturidade de capacitação onde os níveis de capacitação oferecem uma ordem recomendada para a abordagem da melhoria de processos, dentro de cada área de processo específica. (Veja “representação em estágios”, “nível de capacitação” e “área de processo”).

Representação em estágios (staged representation)

Uma estrutura de modelo onde o atendimento de metas de um conjunto de áreas de processos estabelece um nível de maturidade; cada nível constrói uma base para os níveis subseqüentes. (Veja “área de processo” e “nível de maturidade”).

Requisito (requirement)

(1) Uma condição ou capacitação exigida por um usuário para resolver um problema ou atingir um objetivo. (2) Uma condição ou capacitação que deve ser atingida ou possuída por um produto ou componente de produto para satisfazer um contrato, padrão, especificação ou outros documentos formalmente impostos. (3) Uma representação documentada de uma condição ou capacitação conforme em (1) e (2). [IEEE 610.12-1990]

Requisito alocado (allocated requirement)

Requisitos que empregam todo ou parte do desempenho e funcionalidade de um requisito de nível mais alto, em um elemento de arquitetura ou componente de design de nível mais baixo.

Requisitos de acordos/contratos (agreement/contract requirements)

Todos os requisitos técnicos e não-técnicos relacionados a uma aquisição.

Requisitos de componentes de produtos (product-component requirements)

Requisitos de componentes de produtos oferecem uma especificação completa de um componente de produto, incluindo o encaixe, formato, função, desempenho e qualquer outro requisito.

Requisitos derivados (derived requirements)

Requisitos que não estão explicitamente declarados nos requisitos do cliente, mas são inferidos (1) a partir dos requisitos do contexto (por exemplo, padrões aplicáveis, leis, políticas, práticas comuns e decisões de gerenciamento) ou (2) a partir de requisitos necessários para especificar um componente de produto. Requisitos derivados também podem surgir durante a análise e o design de componentes do produto ou sistema. (Veja “requisitos do produto”).

Requisitos do produto (product requirements)

Um refinamento dos requisitos do cliente na linguagem do desenvolvedor, tornando requisitos implícitos em requisitos derivados explícitos. (Veja “requisitos de componentes de produtos” e “requisitos derivados”). O desenvolvedor utiliza os requisitos do produto para guiar o design e construção do produto.

Requisitos não-técnicos (nontechnical requirements)

Provisões contratuais, compromissos, condições e termos que afetam como os produtos ou serviços estão sendo adquiridos. Exemplos incluem produtos a ser entregues, direitos de dados para produtos comerciais de prateleira entregues, item não desenvolvidos (Non-Developmental Item - NDIs), datas de entrega e milestones com critérios de saída. Outros requisitos não-técnicos incluem requisitos de treinamento, requisitos de localização e cronogramas de implantação.

Requisitos técnicos (technical requirements)

Propriedades (atributos) de produtos ou serviços a serem adquiridos ou desenvolvidos.

Retorno do investimento (return on investment)

A razão da receita da saída (produto) com os custos de produção, que determina se uma organização se beneficia da execução de uma ação para produzir algo.

Revisão de design (design review)

Um exame formal, documentado, abrangente e sistemático de um design para avaliar os requisitos de design e a capacidade do design atender estes requisitos e identificar problemas e propor soluções.

Revisão por pares (peer review)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “revisão por pares” é utilizada no CMMI Product Suite.

 

 

Solicitação (solicitation)

O processo de preparar um pacote de solicitação e selecionar um fornecedor (contratado).

Stakeholder

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “stakeholder” é utilizado no CMMI Product Suite.

Stakeholder relevante (relevant stakeholder)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “stakeholder relevante” é utilizado no CMMI Product Suite.

Sub-prática (subpractice)

Veja no Capítulo 2 uma explicação de como “sub-prática”é utilizada no CMMI Product Suite.

Subprocesso (subprocess)

Um processo que é parte de um processo maior. (Veja “descrição do processo”).

Sustentação (sustainment)

Os processos utilizados para assegurar que um produto pode ser utilizado de forma operacional por seus usuários finais ou clientes. A sustentação assegura que a manutenção é feita de tal forma que o produto está em condições de operação, se o produto estiver em uso ou não pelos clientes ou usuários finais.

 

 

Técnicas estatísticas (statistical techniques)

Uma técnica analítica que emprega métodos estatísticos (por exemplo, controle estatístico de processos, intervalos de confiança, intervalos de previsão).

Testes de aceitação (acceptance testing)

Testes formais executados para possibilitar que um usuário, cliente ou outra entidade autorizada determine se aceita um produto ou componente de produto. (Veja “testes de unidade”).

Teste de unidade (unit testing)

Teste de unidades individuais de hardware ou software ou grupos de unidades relacionadas. (Veja “teste de aceitação”).

Treinamento (training)

Na área de processo de Treinamento Organizacional, veja a definição de “treinamento” nas Notas Introdutórias.

 

 

Unidade organizacional (organizational unit)

A parte de uma organização que está sujeita a uma avaliação (também conhecida como o escopo organizacional de uma avaliação).

Uma unidade organizacional implanta um ou mais processos que têm um contexto de processo coerente e opera dentro de um conjunto coerente de objetivos de negócios. Uma unidade organizacional é normalmente parte de uma organização maior, embora em uma organização pequena, a unidade organizacional possa ser a organização como um todo.

 

 

Validação (validation)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “validação” é utilizado no CMMI Product Suite.

Verificação (verification)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “verificação” é utilizado no CMMI Product Suite.

Verificação (verifying implementation)

Uma característica comum das áreas de processos do modelo CMMI com uma representação em estágios, que agrupa as práticas genéricas relacionadas com a revisão pela gerência de mais alto nível e a avaliação objetiva da conformidade às descrições de processos, procedimentos e padrões.

Visão compartilhada (shared vision)

Veja no Capítulo 3 uma explicação de como “visão compartilhada” é utilizada no CMMI Product Suite.